Zac Efron: “Eu já recusei muitos papéis para estar onde queria”

12 de Abril de 2017

Em baixo leiam a tradução para português de uma recente entrevista do Zac Efron para a Glamour.es:

Ainda não tinha festejado os seus 20 anos quando o sucesso de High School Musical o catapultou como ídolo adolescente. Depois de ser explorado por alguns anos pela fama (e de sofrer, em alguns casos), Zac Efron tomou o caminho mais difícil: o de rejeitar projetos que iriam prolongar essa imagem e o de se concentrar em encontrar aqueles que demonstram o seu desejo em se tornar numa estrela pelo seu talento, enquanto ainda explorava de forma honesta e sem remorsos a parte física.

No seu caminho para a maturidade, Efron conheceu Seth Rogen, e provou ser um bom ator em comédia. A sua concentração para alcançar os seus sonhos levaram-no a assinar o seu primeiro papel como embaixador da marca, HUGO BOSS, para compartilhar os seus valores com a geração do milénio.

O que foi mais difícil na transição de ídolo adolescente para adulto?

Paciência. Quando era mais jovem e quando tinha êxito alcançava muitas oportunidades, e era fácil dizer sim, porque oferecem sempre muitos projetos lucrativos. Tens de ter paciência, esperar pelo papel certo é crucial, e é algo que ainda estou a aprender.

Ainda no tema de seguir o caminho de mudança e maturidade, o que aprendeste durante esse tempo?

É importante lembrar que tudo na vida tem que ser divertido. Às vezes podes ser apanhado na seriedade, mas o segredo é ter a certeza de que estás a divertir-te, porque se estás a desfrutando melhor consegues dar o teu melhor.

Ser um ator foi sempre o teu sonho? Como o alcanças-te?

Trata-se de muita prática. Comecei muito cedo e logo que descobri o teatro, comecei a representar sempre que podia, às vezes à frente de audiências de 20 ou 30 pessoas. Aprendi o básico da profissão no palco e mais tarde, percebi que a experiência foi vital para representar em frente das câmaras, sabia onde colocar-me, para onde olhar, coisas que são muito difíceis de aprender mais tarde. Não tenhas medo de começar do zero, basta começar e ir seguir em frente.

Como parte da geração do milénio, quando ouves a frase “Your Time Is Now” ( “O teu momento é agora”), o que isto significa para ti?

“Your Time Is Now” é uma chamada de atenção à nossa geração, um alerta para nos manter-mos vivos. É a razão pela qual esta campanha da HUGO Man está de pé, é motivadora. Esta dá a todos a permissão para atacar a vida. É algo novo, fresco e interessante. É um aviso para as pessoas alcançarem os seus sonhos e lembrarem-se que não há melhor momento para fazer isso do que agora. É uma luz verde para sair e encontrar a tua próxima aventura. Amo esta mensagem.

Como aplicas esta mensagem ao teu dia-a-dia?

Quando se trata de ter a coragem de aproveitar o dia, a coisa mais importante para mim é lembrar-me de aproveitar o momento, manter os pés no chão e concentrar-me, realmente, no que é importante. Esta é a razão pela qual aceitei fazer parte desta campanha, porque quero sempre fazer algo de novo e interessante na minha vida. Acho que essa é a chave. Agitar a vida e viver uma aventura. Acho que estou nesse ponto, e identifico-me com a campanha.

Há dois meses atrás, felicitas-te a tua mãe com uma foto no Instagram que dizia “bear Chocolate” (chocolate de urso) o que gerou muitas notícias na media, de onde vem esse apelido?

Ela sempre me chamou isso desde que era bebé, e, ocasionalmente, ainda o faz. Então pensei que seria bom para lhe mostrar que ainda me lembro.

Em Outubro celebras 30 anos, quais são os teus objetivos pessoais e profissionais para esta nova década?

Pessoalmente, quero surfar melhor e praticar mais ioga. Profissionalmente, quero encontrar novos e diferentes personagens que me desafiem, e trabalhar em filmes que realmente me dizem alguma coisa.

Daqui a alguns tempo, realiza-se a estreia de Baywatch, como será este filme diferente da série original?

É muito diferente. Apesar de manter alguns dos elementos clássicos da série original, modernizamos muitas coisas, existe mais ação e é mais divertido. Trabalhamos como uma equipa e tornámos-nos numa família.

Depois de tantos papéis a mostrar o teu físico, estarias disposto em engordar ou mudar a tua rotina de exercícios por um papel?

Totalmente. Sempre pensei que seria divertido fazer e mostrar como estás empenhado numa personagem e filme.

Depois de High School Musical, decidis-te que não farias mais musicais por algum tempo, até mesmo o remake de Footloose tu rejeitas-te. E agora, finalmente, estás a trabalhar num musical, The Greatest Showman, com Hugh Jackman, porque achas ser agora a hora de voltar a este famoso género de filme?

Encontrei o momento certo. Michael Gracey [o diretor] é um génio; e quando me disse que o Hugh Jackman estaria no filme, a ideia de co-estrelar um filme com ele era boa demais para ser verdade. A história é original, e não será um musical típico. Acho que pode ser algo completamente novo, diferente, algo que nunca foi feito.

Será que quiseste dizer não a muitos projetos para chegares ao lugar onde querias estar? Por exemplo, após o sucesso de Neighbors, foi-te oferecido papéis semelhantes ou com estereótipos?

Sim, disse não muitas vezes para estar aqui. Quando tens sucesso num papel, todos oferecem-te o mesmo. É normal, acho que uma das chaves para ter uma boa carreira é estar em constante mudança, tens que dominar muitos papéis e géneros, para um dia conseguires ser um ator brilhante.

Publicado por: Juliana
Categorias: Artigos, Baywatch, Entrevistas, Greatest Showman, HUGO BOSS, Zac Efron
comentários

Zac Efron: “Eu não vou ser jovem para sempre”

10 de Abril de 2017

Leiam em baixo o artigo traduzido em português do site El Universal, onde o Zac Efron fala sobre os próximos filmes e ainda do seu papel como embaixador da HUGO BOSS.

O ator, que ganhou duas vezes o prémio da MTV por melhor desempenho, sem camisa, diz que está pronto para levar a sua carreira a sério, “Claro que ser chamado de bonito ajudou mas também em alguns casos não ajudou, não posso fazer nada para mudar isso e não quero preocupar-me com o que as pessoas pensam.” diz ele.

Com toda a honestidade, não existe um filme em que o ator não exiba os seus atributos físicos, no entanto, Efron está ciente de que o tempo não pára e agora quer valorizar outras coisas, “Agora que estou no final dos meus 20 anos sei que não vou ser jovem para sempre e o que realmente me deixa entusiasmado não é apenas o viajar para promover Baywatch ou fazer certos filmes, mas também o viajar para visitar os meus pais e família”.

A carreira do ator levou-o a crescer à frente da tela e deixar de ser um adolescente que canta e dança como fez em High School Musical, para se tornar num adulto galante, sensível e até mesmo heróico, “Foi interessante, e muita sorte por ter sido criado por grandes pais sobre uma ótima orientação, para eles nunca foi importante o tornar-me numa grande estrela de cinema: ‘Sê tu mesmo e vê o que acontece, esta é a tua forma de arte, tentar alcançar o próximo nível’, e qual foi o próximo nível? Trabalhar com grandes diretores e interpretar novas personagens.”, diz ele.

Recentemente trabalhou com Dwayne Johnson em Baywatch, um filme com estilo de herói e até mesmo um detetive de polícia, no entanto ser um super-herói no cinema não é a sua prioridade, “Não sei, não posso dizer que não funciona assim porque seria hipócrita, mas acho que tudo é cíclico, só tens que assistir a filmes que este ano fizeram enorme sucesso como ‘Moonlight’ ou ‘La La Land’.”

É precisamente a aproveitar esta euforia em volta dos musicais que faz parte do próximo filme The Greatest Showman, onde é contada a vida de PT Barnum, um filme onde contracena com Hugh Jackman, “É um grande homem, não apenas Wolverine ou X-Men, é um super humano na vida real, é um prazer trabalhar com ele”, diz ele.

Este é apenas um exemplo de que os sonhos podem ser alcançados e é isso que quer que os seus seguidores das redes sociais percebam, que tudo é possível. Ele acredita que nesta geração existem ótimos profissionais mas também alguns pontos fracos, ele exemplifica: “Amo esta geração, é livre e curiosa. Temos toda a capacidade de mudar o mundo, mas temos muita coisa para nos distrair. Estou a descrever-me, acabo sempre por procrastinar imenso, mas estou sempre a fazer coisas que não preciso de fazer… inventei esta barreira na minha cabeça, uma desculpa. É realmente simples encontrar tempo para trabalhar no que realmente queres, mas há vários obstáculos, e estas lições de vida tornam-te mais fortes, eu sinto-me mais forte. Tens de tentar de tudo para alcançar os teus sonhos.”

Efron está pronto para o seu novo trabalho como embaixador das fragrâncias HUGO BOSS, este que lhe permite ligar-se mais aos seus seguidores, “Foi-me dada esta oportunidade de comunicar diretamente com os meus fãs e também de dizer #YourTimeIsNow, para mim isto faz sentido, é uma oportunidade de enviar uma mensagem positiva para quem me segue: os teus sonhos podem tornar-se reais, pára de atrasá-los, pensa no que queres fazer, pensa nos passos que tens de dar e começar a tomar medidas nessa direção para atingires os teus objetivos.”

Publicado por: Juliana
Categorias: Artigos, Baywatch, Entrevistas, Greatest Showman, HUGO BOSS, Zac Efron
comentários

Apresentação de “The Greatest Showman” no CinemaCon

30 de Março de 2017

The Greatest Showman foi apresentado hoje durante o painel da 20th Century Fox no CinemaCon, onde exibiram o primeiro trailer do filme – em baixo leiam várias reacções dos que estavam presentes no painel e assistiram a este trailer.

Publicado por: Juliana
Categorias: Filmes, Greatest Showman, Notícias, Zac Efron
comentários

Previsões do The Hollywood Reporter para os Oscars 2018

27 de Fevereiro de 2017

A cerimónia dos Oscars 2017 ainda agora acabou e as previsões para os Oscars 2018 continuam a ser feitas. The Hollywood Reporter publicou hoje as suas previsões para a categoria final do evento Best Picture e The Greatest Showman é uma das suas apostas entre filmes como Call Me by Your Name, The Current War, Downsizing e Dunkirk. É uma possibilidade mas tudo pode mudar até ao dia dos nomeados serem anunciados.

Publicado por: Juliana
Categorias: Artigos, Filmes, Greatest Showman, Notícias
comentários

“The Greatest Showman” previsto como nomeado aos Oscars 2018

1 de Fevereiro de 2017

2017 ainda mal começou mas já são muitos os jornalistas que fazem as suas previsões para os Oscars de 2018. Em baixo leiam um artigo escrito pelo .Mic onde eles prevêem várias nomeações para The Greatest Showman.

Temos muito tempo antes dos 89º Academy Awards – 27 dias, para ser exato. Como o especialista de award shows do .Mic, estou empenhado em encontrar todos os prós e contras da corrida.

Mas estou a ficar aborrecido. Quais serão os nomeados para os Oscars 2018?

Para o divertimento puro, vou fazer uma previsão preliminar das indicações para o Oscar de 2018. Isto é baseado inteiramente na conjectura, tendo visto exatamente zero destes filmes.

[…]

Aqui estão as minhas escolhas absurdamente cedo para os Oscars de 2018.

BEST PICTURE: Downsizing, do favorito da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, Alexander Payne (The Descendants, Nebraska), apresenta o diretor com uma hipótese real de ganhar a melhor imagem impulsionada por um grande elenco (Matt Damon, Kristen Wiig). Parece o vencedor aqui, a menos que algo como Mother de Darren Aronofsky possa chegar lá de alguma forma que Black Swan não tenha.

Estamos à espera para ver o que Kathryn Bigelow e Mark Boal fazem na sua terceira colaboração – o projeto sem título Detroit – mas eles têm a sua vitória já em The Hurt Locker. Se The Glass Castle ou The Greatest Showman forem realmente impressionante, podem tornar-se em ameaças. O mesmo vale para o Projeto Flórida e Mudbound dos diretores Sean Baker e Dee Rees, respectivamente. Mas nesta fase muito precoce, parece que é o tempo de Payne.

[…]

BEST ACTOR: Vocês sabiam que Hugh Jackman nunca ganhou um Oscar? A sua única nomeção foi para a adaptação cinematográfica de Les Miserables, que se sente como uma memória distante. Se o seu P.T. Barnum for um sucesso aclamado pela crítica, este poderá ser o seu momento.

BEST SUPPORTING ACTOR: As nomeações póstumas são menos comuns do que as pessoas pensam – como um vencedor, Heath Ledger foi ainda mais raro – mas se Darkest Hour, o drama de guerra britânico apresentando por John Hurt como Neville Chamberlain, for grande, poderá ser uma ótima maneira de nos lembrarmos do falecido Hurt.

Noutro assunto, esperem que o Zac Efron obtenha a tração do Oscar muito aguardada por The Greatest Showman, enquanto que um pai alcoólatra em The Glass Castle deve finalmente enviar Woody Harrelson para a fase do Oscar.

[…]

BEST SUPPORTING ACTRESS: Se a Pfeiffer não ganhar, não fiquem chocados se outra Michelle levar para casa o prémio: Williams. Ela foi nomeada quatro vezes; A quinta vez pode ser o charme.

Publicado por: Juliana
Categorias: Artigos, Filmes, Greatest Showman, Notícias, Zac Efron
comentários
Página 1 de 212